7 Experiências universitárias incríveis que vão prepará-lo para o mercado de trabalho

Você já deve ter visto aquela piadinha na internet – “preciso de experiência para arrumar um emprego, preciso de um emprego para ter experiência”. Por esse ângulo, realmente, sair da faculdade com uma vaga no mercado parece tarefa impossível. Entretanto, a frase está longe de ser verdade; há, sim, inúmeras experiências que você pode usar para enriquecer seu currículo e desenvolver habilidades profissionais antes de se formar.

A Ganbatte reuniu organizações estudantis que vão agradar diferentes perfis: quer esteja buscando aprender outro idioma ou descobrir o empreendedorismo social, há algo para você. Defina seus objetivos pessoais e de carreira e encontre a rede que vai impulsioná-lo na direção correta:

Empresa Júnior
  • O que é: estudantes universitários constroem microempresas e têm uma vivência real do mercado de trabalho, elaborando e executando projetos de consultoria para a comunidade.
  • Habilidades desenvolvidas: liderança, gestão de negócios, postura empreendedora, trabalho em equipe, networking, senso de responsabilidade e tomada de decisões.

Participar de uma empresa júnior ajuda a conhecer o mercado em que se quer trabalhar antes mesmo de concluir o Ensino Superior. Assim, o aluno tem ferramentas para decidir efetivamente quais suas áreas de interesse e buscar capacitações cada vez mais específicas para se destacar em sua busca por emprego. Muitos dos empresários júnior também optam por continuar empreendendo após a universidade.

A organização funciona como qualquer outra empresa: é preciso conhecer seu nicho e seu público, ter negociações com clientes, administrar finanças e funcionários. Tudo isso ajuda a preparar o universitário para a realidade profissional. Encontros entre jovens empresários promovem a troca de ideias e experiências e a criação de uma rede de contatos profissionais.

Ao inserir sua passagem por uma empresa júnior no currículo, prepare-se para responder perguntas sobre sua atuação. Destaque aprendizados, planos colocados em prática e habilidades técnicas que se relacionem com seu curso de formação. Para as empresas, é importante observar que o candidato não só estava presente, mas aproveitou ao máximo a oportunidade para seu crescimento pessoal e profissional.

Grêmio estudantil ou centro acadêmico
  • O que é: grupo de estudantes é eleito para representar seus colegas na tomada de decisões da escola, exercitando a democracia e a negociação com outras partes (como diretores ou professores).
  • Habilidades desenvolvidas: compreensão de direitos e deveres dentro de uma comunidade, discussão de propostas, senso de coletividade, postura colaborativa, negociação, questionamento e tomada de decisões.

O grêmio estudantil é uma das primeiras experiências políticas dos jovens, em que eles conquistam a oportunidade de participar da administração da escola. São formadas chapas eleitorais e realizadas votações de acordo com o sistema democrático – os alunos eleitos devem representar as opiniões e demandas de todo o grupo diante dos funcionários da instituição.

Nesse contexto, cabe aos estudantes elaborar um plano de governo, debater as pautas propostas pelo eleitorado, gerenciar o grêmio e implantar as mudanças prometidas. Outras tarefas realizadas frequentemente, que refletem a realidade do serviço público, incluem: fazer atas das reuniões, controlar o livro-caixa, firmar parcerias e buscar colaboradores, convocar assembleias ou debates, falar publicamente.

Ligas universitárias
  • O que é: enquanto empresas júnior atuam como consultoria em áreas de formação específica, as ligas universitárias permitem que universitários se unam em torno de diferentes temáticas, oferecendo cursos, encontros e debates com profissionais já formados.
  • Habilidades desenvolvidas: networking, comunicação, oratória, capacitação em áreas específicas de interesse e solução de problemas.

As ligas universitárias reúnem jovens interessados em desenvolver suas habilidades em temas específicos através de palestras, aulas e atividades práticas. No Brasil, os assuntos mais levantados pelos estudantes são empreendedorismo e mercado financeiro.

A proposta é conectar universitários a profissionais atuantes da área, além de permitir uma conexão entre a teoria e a realidade do mercado. Isso os capacita para tomar decisões mais acertadas na hora de definir os rumos da carreira.

CHOICE
  • O que é: um movimento, realizado pela Artemísia, que conecta jovens universitários aos negócios de impacto social.
  • Habilidades desenvolvidas: liderança, empatia, trabalho em equipe, resiliência, iniciativa, empreendedorismo, criatividade e capacidade de trabalhar com recursos escassos.

Qualquer um pode se candidatar a uma vaga no programa CHOICE, que tem a duração de um semestre letivo. Os jovens escolhidos participam, gratuitamente, de uma formação de liderança transformadora, aonde aprendem sobre empreendedorismo social, liderança e facilitação.

Após esse encontro presencial, cada participante é desafiado a colocar o aprendizado em prática e disseminar o conhecimento adquirido através de oficinas e palestras para outros estudantes, gerando inspiração para que mais jovens entrem no universo dos negócios sociais.

O movimento também possibilita a criação de negócios reais – muitos universitários terminam o CHOICE com ideias para suas próprias empresas, ou mesmo com os primeiros passos já tomados na criação de uma organização que vá impactar positivamente sua comunidade.

CHOICE

Confira o site: CHOICE 

Enactus
  • O que é: uma comunidade global de estudantes com foco em empreendedorismo e crescimento sustentável.
  • Habilidades desenvolvidas: empoderamento, liderança, sustentabilidade, solução de problemas, tomada de decisões, trabalho em equipe, consciência social e ambiental.

O objetivo da Enactus é unir agentes de transformação para melhorar a vida de comunidades locais. Estudantes, orientados por professores e profissionais, têm a chance de implementar projetos para empoderar pessoas do mundo todo.

A Enactus trabalha com times: cada instituição de ensino pode ter seu próprio time Enactus e todos eles competem a nível nacional. O Campeão Nacional é eleito através da questão: “ qual time foi mais eficaz em aplicar a ação empreendedora ao empoderar pessoas para melhorar sua subsistência de forma econômica, social e ambientalmente sustentável?”.

Hoje, a organização está em 36 países e 1600 universidades ao redor do globo. Os vencedores de cada país ainda participam de encontros globais, em que podem trocar experiências e aprender com os projetos de seus colegas.

Confira o site: Enactus

AIESEC
  • O que é: uma organização universitária de jovens ao redor do mundo que promove intercâmbios culturais e profissionais.
  • Habilidades desenvolvidas: autoconhecimento, visão global, relação interpessoal, habilidades em outros idiomas, pró-atividade, senso empreendedor, responsabilidade social e capacidade de trabalhar com recursos escassos.

A AIESEC defende que o mercado de trabalho exige cidadãos globais – ou seja, com entendimento de outras culturas, conhecimento dos potenciais e dificuldades de cada país e capacidade de se comunicar com diferentes perfis. Os jovens da organização podem participar de intercâmbios para 125 países espalhados por todos os continentes, seja para fazer trabalho voluntário ou remunerado.

Durante a experiência internacional, o objetivo é o desenvolvimento individual de cada intercambista. As atividades e o trabalho realizados são escolhidos com base nas habilidades que o jovem quer exercitar. O banco de vagas da AIESEC conta com oportunidades para diversas áreas de formação e níveis de idiomas.

Confira o site: AIESEC

Rotary
  • O que é: um programa de intercâmbio para jovens de 15 a 19 anos, em que o intercambista vive com uma família e experimenta a cultura de outro país.
  • Habilidades desenvolvidas: autoconhecimento, visão global, relação interpessoal, habilidades em outros idiomas, adaptação.

Jovens podem participar do Rotary desde o Ensino Médio. A proposta é que o estudante apresente sua própria cultura para os colegas e família do país visitado, assim como se torne um embaixador do programa em seu próprio país, quando retornar. Os intercâmbios podem durar desde algumas semanas até um ano, em que o participante continua seus estudos no exterior.

Confira o site: Rotary

Marcela Lorenzoni é jornalista e professora de inglês. Trabalha na startup de Educação Geekie. Atualmente, mora em São Paulo, onde faz pós-graduação em Educação no Novo Milênio.

Quer se capacitar? Seja um Talento Ganbatte e se desenvolva!

Posted in Blog, Currículo, Processos Seletivos and tagged , , .